Normas.com.br - Biblioteca Técnica Digital (uso Pessoal)

GEDWeb - Biblioteca Técnica Digital (uso Corporativo)

Portal Target
  Cronograma

Disponíveis pela Internet

Eventos Gratuitos

Docentes

 

Coletâneas

Comentadas

Projetos de Normas

Glossário Técnico

Soluções para gestão de acervo

Versões em outros idiomas

  Traduzidas

Glossário Técnico

  Mais recentes

   M A T É R I A   T É C N I C A
      Publicada: 20/04/2012

NBR 5101: procedimento para a iluminação pública


20/04/2012 - Equipe Target

Iluminação pública

A iluminação pública tem como principal objetivo proporcionar visibilidade para a segurança do tráfego de veículos e pedestres de forma rápida, precisa e confortável. Os projetos de iluminação pública devem atender aos requisitos específicos do usuário, provendo benefícios econômicos e sociais para os cidadãos, incluindo a redução de acidentes noturnos; melhoria das condições de vida, principalmente nas comunidades carentes; auxílio à proteção policial, com ênfase na segurança dos indivíduos e propriedades; facilidade do fluxo do tráfego; destaque nos edifícios e obras públicas durante a noite; e eficiência energética. A aplicação da norma NBR 5101 irá produzir iluminação adequada e utilização racional da energia, se o projetista e o usuário utilizarem: lâmpadas, reatores e luminárias eficientes, com distribuições apropriadas para cada tipo de instalação; luminárias com posicionamento e alturas de montagem adequadas; um bom programa de manutenção, para assegurar a integridade do sistema e a preservação do nível de iluminação considerado no projeto.

A distribuição apropriada das intensidades luminosas das luminárias é um dos fatores essenciais de iluminação eficiente em vias. As intensidades emitidas pelas luminárias são controladas direcionalmente e distribuídas de acordo com a necessidade para visibilidade adequada (rápida, precisa e confortável). Distribuições de intensidades são geralmente projetadas para uma faixa típica de condições, as quais incluem altura de montagem de luminárias, posição transversal de luminárias (avanço), espaçamento, posicionamento, largura das vias a serem efetivamente iluminadas, porcentagem do fluxo luminoso na pista e áreas adjacentes, mantida a eficiência do sistema.

A distribuição das intensidades luminosas da luminária em relação à via é classificada de acordo com três critérios:
a) distribuição longitudinal (em plano vertical);
b) distribuição transversal;
c) controle de distribuição de intensidade luminosa no espaço acima dos cones de 800 e 900, cujo vértice coincide com o centro óptico da luminária (distribuição de intensidade luminosa no espaço acima de 800 e 900 em relação à linha vertical que contém o centro óptico da luminária). A classificação de distribuição de intensidade luminosa longitudinal e transversal deve ser feita na base do diagrama de isocandela, traçada sobre um sistema retangular de coordenadas contendo uma série de linhas longitudinais da via (LLV) em múltiplos da altura de montagem (AM) e uma série de linhas transversais da via (LTV) também em múltiplos da altura de montagem.

Poluição luminosa é o brilho noturno no céu acima das áreas características de concentração urbana que é provocada pela luz artificial mal direcionada de casas, prédios e demais instalações, que é refletida na poeira, vapor de água e outras partículas dispersas na atmosfera. No caso da poluição luminosa pode ser entendida como desperdício de energia, provocada por luminárias, instalações e projetos ineficientes e mal elaborados. No caso da iluminação pública, a poluição luminosa é traduzida em projetos com níveis de iluminância superdimensionados não condizentes com a iluminação recomendada nessa norma ou por luminárias sem o correto controle de dispersão de luz. As luminárias recomendadas para reduzir a parcela da iluminação pública na poluição luminosa devem possuir uma classificação que mantenha baixa a emissão de luz acima do eixo horizontal, possua alta eficiência luminosa e permita baixos ângulos de instalação. Os projetores, quando necessário, devem possuir aletas internas ou externas que limitem a propagação da luz para fora da área a ser iluminada.

Para permitir uma melhor convivência entre a iluminação pública e a arborização, é apresentada uma equação que pode ser utilizada para desobstruir a iluminação na via. A equação considera os ângulos de máxima incidência de luz das luminárias nos sentidos longitudinal e transversal à via, a sua altura de montagem e a distância da árvore. A equação apresentada deve ser utilizada para auxiliar os planejadores municipais, as empresas de iluminação pública e os órgãos gestores da arborização urbana nas seguintes situações:
a) na adequação dos sistemas existentes onde a posteação e as árvores já existam, permitindo definir a linha de poda dos ramos que comprometam a iluminação;
b) na implantação de novos sistemas de iluminação em praças, vias e calçadões, auxiliando na definição da posição dos postes e sua distância às árvores existentes;
c) na implantação de novas árvores em praças, vias e calçadões, auxiliando na definição das árvores em relação aos postes existentes.

Em vias urbanas com tráfego intenso onde existirem travessias sinalizadas para pedestres fora das esquinas, uma iluminação adicional pode ser utilizada, sempre em conjunto à sinalização vertical e horizontal, para alertar os condutores de veículos com antecedência suficiente da presença de pedestres que cruzam a via, bem como para permitir que os pedestres reconheçam com facilidade os limites da passagem e se posicionem dentro destes. Para garantir que a passagem de pedestre esteja bem destacada na via, recomenda-se que as lâmpadas utilizadas na iluminação da passagem tenham uma "temperatura de cor" diferente das lâmpadas que iluminam a pista de rolamento. Esta alternativa também pode ser utilizada em cruzamentos de centros urbanos com grande movimentação de pedestres, mas deve ser cuidadosamente estudada para não prejudicar ou gerar confusão visual com a sinalização viária.

Mais informações sobre a norma NBR 5101 de 04/2012, clique no link:

NBR 5101: Iluminação pública - Procedimento

FONTE: Equipe Target

 
N O R M A S   T É C N I C A S   R E L A C I O N A D A S
Foram encontrados(as) 3 Normas Técnicas.
Você está visualizando a página 1 de 1.
 
1 
NBR15688
de 04/2012
Redes de distribuição aérea de energia elétrica com condutores nus
Nr. de Páginas: 154
Clique para fazer a pré-visulização gratuita desta normaPré-visualização gratuita
Clique para visualizar a norma imediatamenteIncluir já!
 
NBR5123
de 04/1998
Relé fotelétrico e tomada para iluminação - Especificação e método de ensaio
Nr. de Páginas: 19
Clique para fazer a pré-visulização gratuita desta normaPré-visualização gratuita
Clique para visualizar a norma imediatamenteIncluir já!
  
NBR5181
de 04/2013
Sistemas de Iluminação de túneis - Requisitos
Nr. de Páginas: 27
Clique para fazer a pré-visulização gratuita desta normaPré-visualização gratuita
Clique para visualizar a norma imediatamenteIncluir já!
 
 
1 
Você não efetuou login

Você não efetuou login

  R$ 0,00

Hoje você adquiriu 0 pontos *
 

Bebedouros devem ser fabricados conforme as normas técnicas

 
 
Bebedouros devem ser fabricados conforme as normas técnicas
 
  
 
 

Cadeiras plásticas monobloco terão que ser certificadas obrigatoriamente

 
 
Cadeiras plásticas monobloco terão que ser certificadas obrigatoriamente
 
  
 

Copyright© 1994-2014 Target Engenharia e Consultoria Ltda. Todos os direitos reservados.
Av. Alfredo Egídio de Souza Aranha 75, 2º Andar - São Paulo - SP
CEP 04726-170 - Brasil - Tel.: [55] 11 5641.4655 Recepção: Ramal 11
Fax: [55] 11 5641.4750 - Skype: suporte.target
E-mail: ouvidoria@target.com.br