Normas.com.br - Biblioteca Técnica Digital (uso Pessoal)

GEDWeb - Biblioteca Técnica Digital (uso Corporativo)

Portal Target
  Disponíveis pela Internet

Docentes

 

Coletâneas

Comentadas

Projetos de Normas

Glossário Técnico

Soluções para gestão de acervo

Versões em outros idiomas

  Traduzidas

Glossário Técnico

   M A T É R I A   T É C N I C A
      Publicada: 18/04/2013

NBR ISO/CIE 8995-1: a iluminação interior de ambientes de trabalho

18/04/2013 - Equipe Target

A iluminação interior de ambientes de trabalho

A NBR ISO/IEC 8995-1 de 03/2013 - Iluminação de ambientes de trabalho - Parte 1: Interior especifica os requisitos de iluminação para locais de trabalho internos e os requisitos para que as pessoas desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente, com conforto e segurança durante todo o período de trabalho. Não especifica como os sistemas ou técnicas de iluminação devem ser projetados a fim de aperfeiçoar as soluções para locais específicos de trabalho. Estas podem ser encontradas nos guias pertinentes e relatórios da Commission Internationale de l´Eclairage (CIE).

Uma boa iluminação propicia a visualização do ambiente, permitindo que as pessoas vejam, se movam com segurança e desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente, precisa e segura, sem causar fadiga visual e desconforto. A iluminação pode ser natural, artificial ou uma combinação de ambas. Uma boa iluminação requer igual atenção para a quantidade e qualidade da iluminação. Embora seja necessária a provisão de uma i1uminância suficiente em uma tarefa, em muitos exemplos a visibilidade depende da maneira pela qual a luz é fornecida, das características da cor da fonte de luz e da superfície em conjunto com o nível de ofuscamento do sistema.

Nessa norma foi levado em consideração não apenas a iluminância, mas também o limite referente ao desconforto por ofuscamento e o índice de reprodução de cor mínimo da fonte para especificar os vários locais de trabalho e tipos de tarefas. Os parâmetros para criar as condições visuais confortáveis estão propostos no corpo dessa norma. Os valores recomendados foram considerados, a fim de representar um balanço razoável, respeitando os requisitos de segurança, saúde e um desempenho eficiente do trabalho. Os valores podem ser atingidos com a utilização de soluções energeticamente eficientes.

Existem também parâmetros ergonômicos visuais, como a capacidade de percepção e as características e atributos da tarefa, que determinam a qualidade das habilidades visuais do usuário e, consequentemente, os níveis de desempenho. Em alguns casos a otimização destes fatores de influência pode melhorar o desempenho sem ser necessário aumentar os níveis de i1uminância. Por exemplo, pela melhora do contraste na tarefa, ampliando a visualização de própria tarefa através do uso de equipamentos de auxílio à visão (óculos) e pela provisão de sistemas de iluminação especiais com capacidade de uma iluminação local direcional.

A prática de uma boa iluminação para locais de trabalho é muito mais que apenas fornecer uma boa visualização da tarefa. É essencial que as tarefas sejam realizadas facilmente e com conforto. Desta maneira, a iluminação deve satisfazer os aspectos quantitativos e qualitativos exigidos pelo ambiente. Em geral a iluminação assegura: conforto visual, dando aos trabalhadores uma sensação de bem-estar,desempenho visual, ficando os trabalhadores capacitados a realizar suas tarefas visuais, rápida e precisamente, mesmo sob circunstâncias difíceis e durante longos períodos, segurança visual, ao olhar ao redor e detectar perigos.

A fim de satisfazer isto, é requerido que seja dada atenção a todos os parâmetros que contribuem para o ambiente luminoso. Os principais parâmetros são: distribuição da luminância, i1uminância, ofuscamento, direcionalidade da luz, aspectos da cor da luz e superfícies, cintilação, luz natural, manutenção.

Os valores de projeto para os parâmetros quantificáveis de iluminância, desconforto referente ao ofuscamento e reprodução de cor estão estabelecidos na Seção 5 para várias atividades. Adicionalmente à iluminação, existem outros parâmetros ergonômicos visuais que influenciam o desempenho visual dos operadores, como: as propriedades intrínsecas da tarefa (tamanho, forma, posição, cor e refletância do detalhe e do fundo); capacidade oftálmica do operador (acuidade visual, percepção de profundidade, percepção da cor).

A atenção a estes fatores pode otimizar o desempenho visual sem a necessidade de um incremento dos níveis de iluminância. A distribuição da luminância no campo de visão controla o nível de adaptação dos olhos, o qual afeta a visibilidade da tarefa. Uma adaptação bem balanceada da luminância é necessária para ampliar: a acuidade visual (nitidez da visão), a sensibilidade ao contraste (discriminação das diferenças relativamente pequenas de luminância), a eficiência das funções oculares (como acomodação, convergência, contrações pupilares, movimento dos olhos, etc.).A distribuição de luminâncias variadas no campo de visão também afeta o conforto visual e convém que sejam evitadas: luminâncias muito altas que podem levar ao ofuscamento; contrastes de luminâncias muito altos causam fadiga visual devido à contínua readaptação dos olhos; luminâncias muito baixas e contrastes de luminância muito baixos resultam em um ambiente de trabalho sem estímulo e tedioso.

Convém que seja dada atenção à adaptação na movimentação de zona para zona no interior do edifício. As luminâncias de todas as superfícies são importantes e são determinadas pela refletância e pela i1uminância nas superfícies. As faixas de refletâncias úteis para as superfícies internas mais importantes são: teto: 0,6-0,9; paredes: 0,3-0,8; planos de trabalho: 0,2-0,6; e piso: 0,1 – 0,5.

FONTE: Equipe Target

 
N O R M A S   T É C N I C A S   R E L A C I O N A D A S
Foram encontrados(as) 5 Normas Técnicas.
Você está visualizando a página 1 de 1.
 
1 
NBR10898
de 03/2013
Sistema de iluminação de emergência
Nr. de Páginas: 38
Clique para fazer a pré-visulização gratuita desta normaPré-visualização gratuita
Clique para visualizar a norma imediatamenteIncluir já!
 
NBR15215-1
de 03/2005
Iluminação natural - Parte 1: Conceitos básicos e definições
Nr. de Páginas: 5
Clique para fazer a pré-visulização gratuita desta normaPré-visualização gratuita
Clique para visualizar a norma imediatamenteIncluir já!
  
NBR15215-2
de 03/2005
Iluminação natural - Parte 2 - Procedimentos de cálculo para a estimativa da disponibilidade...
Nr. de Páginas: 21
Clique para fazer a pré-visulização gratuita desta normaPré-visualização gratuita
Clique para visualizar a norma imediatamenteIncluir já!
 
NBR15215-3
de 03/2005
Iluminação natural - Parte 3: Procedimento de cálculo para a determinação da iluminação...
Nr. de Páginas: 36
Clique para fazer a pré-visulização gratuita desta normaPré-visualização gratuita
Clique para visualizar a norma imediatamenteIncluir já!
  
NBR15215-4
de 03/2005
Iluminação natural - Parte 4: Verificação experimental das condições de iluminação interna...
Nr. de Páginas: 16
Clique para fazer a pré-visulização gratuita desta normaPré-visualização gratuita
Clique para visualizar a norma imediatamenteIncluir já!
 
 
1 
Você não efetuou login

Você não efetuou login

  R$ 0,00
Pague com o PayPal
Pague com cartões de crédito
Pague com boleto bancário
Curta nossa página no Facebook


Copyright© 1994-2016 Target Engenharia e Consultoria Ltda. Todos os direitos reservados.
Avenida das Nações Unidas, 18801 - Cj. 1501 - São Paulo - SP
CEP 04795-000 - Brasil - Tel.: [55] 11 5641.4655 Recepção: Ramal 111
Fax: Ramal 213 - Skype: suporte.target
E-mail: ouvidoria@target.com.br